domingo, 3 de outubro de 2010

um poema de flávio otávio ferreira

Uma ocasião qualquer

Na falta de sorrisos,
Grito alto, me descabelo,
Me arranco o chão,
Me jogo num abismo,
Abro os braços
E aterriso.
Antes que uma lágrima escorra,
Corro contra o vento,
Corro contra o tempo
E me arrasto por guetos
De sombras.
Antes que a morte venha
Compreendo a dor do mundo;
Levo um sorriso para as crianças
E um aparelho de barbear
Para qualquer outra ocasião

flavio otávio ferreira, do livro: itinerário fragmentado

2 comentários:

  1. Valeu meu camarada! É uma honra para mim ver um poema meu figurar em teu blog! Abraço.

    ResponderExcluir